António Costa won his second term in office. Read this information to know more about it.
Puede usar las teclas derecha/izquierda para votar el artículo.Votación:1 estrella2 estrellas3 estrellas4 estrellas5 estrellas (Sin votaciones aún)
LoadingLoading...

Mundo

Socialistas vencem em Portugal, mas precisarão de alianças para governar

Cynthia de Benito / Lisboa / O Partido Socialista de Portugal venceu com folga as eleições legislativas realizadas no país neste domingo, mas o atual primeiro-ministro, António Costa, precisará de alianças para governar pelos próximos quatro anos.

Responsável por uma aliança inusitada entre forças de esquerda para assumir o poder após o triunfo da centro-direita no pleito de 2015, Costa ganhou um voto de confiança da população portuguesa, mas não um cheque em branco. Para seguir no poder, o premiê terá que reeditar a “geringonça”, apelido dado para a atual coalizão governista, ou buscar novos aliados no parlamento.

Com 98,88% das urnas apuradas, o Partido Socialista obteve 36,67% dos votos, uma vantagem superior a oito pontos percentuais para o segundo colocado, o Partido Social-Democrata (PSD), principal da oposição, que ficou com 27,96%.

Em um pleito marcado pela alta abstenção, que supera os 44% de 2015, os socialistas ampliaram de forma substancial o número de cadeiras no parlamento – antes eram 86 -, mas não terão maioria absoluta, algo nunca explicitamente pedido à população por Costa e seus correligionários, mas um desejo da legenda, sugerindo nas ações do partido ao longo da campanha.

Apesar da vantagem insuficiente para governar sozinho, Costa entra nas negociações para formar um novo governo amplamente respaldado pela população. E deve ter apoio suficientes para deixar de governar em minoria no parlamento, como ocorreu nos últimos quatro anos.

A primeira opção do premiê português é reeditar a “geringonça”, a coalizão integrada pelo Bloco de Esquerda, que teve 9,67% dos votos – menos que os 10,19% de 2015 -, e pela coalizão entre o Partido Comunista de Portugal e Os Verdes (CDU), quarta colocada no pleito, com 6,41% – dois pontos percentuais abaixo do resultado obtido há quatro anos.

Mesmo minoritários, os dois grupos venderam caro o apoio a Costa em 2015 e prometem repetir a dose nas novas negociações. Tudo dependerá do número final de cadeiras para cada legenda e de quantos deputados os socialistas precisarão para garantir a maioria do parlamento.

A depender do resultado dessa conta, Costa poderá abrir mão da “geringonça” para buscar um novo aliado: o Partido das Pessoas, dos Animais e da Natureza (PAN), que passou de 1,39% dos votos em 2015 para 3,27% neste ano, o que dará ao partido três ou quatro cadeiras.

Alheios aos cálculos, aliados de Costa esperaram a divulgação das pesquisas de boca de urna para começar a comemorar o resultado histórico para o partido. A vitória já era esperada, mas veio acompanhada de um gosto especial para os socialistas: a queda da direita.

“Derrota histórica” eram os termos mais repetidos por líderes do Partido Socialista sobre a votação dos rivais políticos, que obtiveram os piores resultados nas urnas desde 1983.

A crise também atingiu o democrata-cristão CDS-PP, que obteve apenas 4,25% dos votos e perdeu sua líder, Assunção Cristas, que anunciou que renunciará ao cargo e convocará um congresso extraordinário do partido para escolher seu sucessor o mais rápido possível.

“Assumimos o resultado com humildade democrática”, se limitou a dizer Cristas, que deixou o comitê de campanha do CDS-PP antes mesmo do fim da apuração.

A saída precipitada de Cristas era o anúncio de fim de ciclo para direita portuguesas, impotente durante boa parte da última legislatura ao perder o discurso da eficácia da gestão econômica diante do milagre promovido pelo Partido Socialista.

Faltando definir o número exato de cadeiras a serem ocupadas por cada grupo político no parlamento, as atenções na reta final da apuração estão sobre o Chega!, partido de extrema direita que apresentou candidatos pela primeira vez nas eleições de Portugal e que, apesar das previsões contrárias, pode ter um deputado na nova legislatura. (6 de octubre de 2019, EFE/Practica Español)

La noticia relacionada en vídeo:


Comprehension

Lee la noticia y responde a las preguntas (Read the news and answer the questions)

Congratulations - you have completed Lee la noticia y responde a las preguntas (Read the news and answer the questions). You scored %%SCORE%% out of %%TOTAL%%. Your performance has been rated as %%RATING%%
Your answers are highlighted below.
Question 1
Principalmente, en el texto se habla de... (Mainly in the text, it's talked about...)
A
los partidos que apoyaron a Costa en 2015 para formar gobierno.
B
los resultados de las últimas elecciones en Portugal.
C
la dimisión del líder de un partido político tras los resultados de las elecciones.
Question 2
En el texto se dice que... (It's said in the text that...)
A
Costa volverá a gobernar en Portugal.
B
es poco probable que Costa gobierne de nuevo en Portugal.
C
el partido de Costa logró la mayoría absoluta en estas elecciones.
Question 3
Sobre estas elecciones se dice que... (About this elections, it's said that...)
A
apenas hubo abstención.
B
Costa tendrá que pactar con otros partidos para gobernar.
C
todos los partidos de izquierda apoyarán incondicionalmente a Costa.
Question 4
Según el texto... (According to the text...)
A
es poco probable que Cristas decida dimitir.
B
la derecha obtuvo un resultado muy malo en estos comicios.
C
los partidos de derecha han mejorado notablemente sus resultados.
Question 5
En el vídeo se dice que... (It's said in the video that...)    
A
Costa no necesitará tener socios políticos para gobernar.
B
es posible que el partido de Costa pacte con el partido de centro-derecha.
C
el partido de Costa sacó más de 7 puntos al segundo partido más votado.
Once you are finished, click the button below. Any items you have not completed will be marked incorrect. Get Results
There are 5 questions to complete.

Vocabulary

Congratulations - you have completed . You scored %%SCORE%% out of %%TOTAL%%. Your performance has been rated as %%RATING%%
Your answers are highlighted below.
Question 1
"36%" se lee... ("36" is read...)  
A
"treinta y seis por cien".
B
"treinta y seis para ciento".
C
"treinta y seis por ciento".
Question 2
Si 'vences'... (If you 'vences'...)  
A
ganas.
B
ni ganas ni pierdes.
C
pierdes.
Question 3
Hay 'abstención' en unas elecciones cuando... (There is 'abstención' in an elections when...)    
A
los ciudadanos votan al partido que está gobernando en ese momento.
B
todos los ciudadanos votan.
C
los ciudadanos con derecho a voto deciden no votar.
Question 4
Se utiliza la expresión 'es decir' para... (It's used the expression 'es decir' to...)  
A
dar una orden.
B
explicar mejor algo que se ha dicho con anterioridad.
C
poner en duda algo.
Question 5
En el texto,'ahora vende su piel más cara' significa que... (In the text,'ahora vende su piel más cara', it means that...)  
A
dará su apoyo sin condiciones.
B
preguntará por el precio de un producto a alguien.
C
pedirá más por dar su apoyo.
Question 6
El artículo determinado para 'piel' es: (The definite article for 'piel' is:)
A
lo
B
el
C
la
Once you are finished, click the button below. Any items you have not completed will be marked incorrect. Get Results
There are 6 questions to complete.

Noticias al azar

Multimedia news of Agencia EFE to improve your Spanish. News with text, video, audio and comprehension and vocabulary exercises.